terça-feira, 22 de outubro de 2013

Sobre roteiristas, pessoas e vontades ou "A carta de aniversário atrasada".


Acontece assim: O roteirista da minha vida estava um tanto entediado com a história que andava escrevendo pra mim. Resolveu então ir pra um bar aleatório no universo, no céu, no mundo dos roteiristas da vida, ou seja lá como chamam esse lugar. Sentado no balcão tomando uma cerveja, conheceu este outro roteirista de uma outra garota que, por coincidência, acaso, sorte ou destino, estava na mesma situação. Decidiram então, misturar suas personagens.

Acreditem ou não, é assim que as pessoas se conhecem.

Pois bem, continuaram a escrever seus roteiros, fazendo as duas se esbarrarem pelas redes sociais da vida. Descobriram então que já haviam se cruzado. Quer deixa melhor que essa pra dois caras dominados pelo tédio? 

É engraçado como a gente reencontra pessoas, como aparecem nas nossas vidas e reviram tudo, acrescentam, mudam. Essa é a única explicação plausível que consigo encontrar pra você vir parar na minha vida. Outra vez, mas de maneira muito mais intensa. São mais ou menos sete (ou oito? ou nove?) meses que você tá por aqui e tenho a impressão de já ter passado anos. É aquela sensação que você vive descrevendo pra mim "como se você tivesse saído de casa essa tarde e tá prestes a voltar. Mas não volta". Pode acreditar, é o mesmo aqui. É tanto em comum! Histórias, vontades, pensamentos. Até o jeito de falar que acaba se misturando, mesmo tentando controlar. Outra coisa engraçada são as coisas que você já sabe sobre mim. Coisas que nem admitia ser verdade, mas entrego com facilidade a você. Talvez seja culpa do seu modo de compreender cada pensamento louco e sem nexo que me pego te contando, e por ser o mesmo com você. Isso é bom. Eu gosto, e muito.

Seria mentira dizer que te vejo em tudo na minha vida. As pessoas dizem isso (e eu posso até ter dito vez ou outra) mas não é verdade. Tem coisas demais e pessoas demais pra encaixar em tudo, mas você tá presente em uma boa parte. Isso tudo que a gente anda construindo nesses meses, a quase 1000km de distância (ou mais? Ou um pouco menos?) pode ser chamado de que? Amizade? Amor? Os dois, eu arrisco. É imensa a vontade de por em prática toda e cada ideia que formulamos juntas, os planos, as conversas, as músicas dançadas na sala num sábado a tarde, as histórias das minhas fotos que tenho vontade de contar pra você, sentada numa sacada enquanto tomamos cerveja e toda bobagem que dizemos por aí. 

Essa nossa história é um tanto engraçada, né? Eu não sou tão boa com as palavras quanto você, poderia muito bem ter escrito tudo isso em forma de poema, de poesia ou qualquer outra coisa. Mas histórias nós só contamos como histórias! Não vejo a hora dessa sair do papel. 

Pois é, moça. "Tu" é um tanto especial pra mim, e tá cansada de saber disso. Só tenho a te agradecer por tudo que você anda fazendo por mim.

Pra terminar, eu queria de dizer 37.562.331. (ou mais?)

PS: Isso aqui ia pra sua carta, mas como eu nunca coloco ela no correio... (mas prometo que vou mandar seu CD!)
her song by Tó Brandileone on Grooveshark

Um comentário: