terça-feira, 18 de dezembro de 2012

"Não me tire do coração" - (A carta de fim do mundo - part. II)

Hoje, 18/12/2012. Apenas 03 dias pro fim do mundo.


Uma coisa que anda me chateando nesses nossos últimos dias por aqui, é o clima. Esses dias "quase". Aquele tipo de dia que não faz frio, nem calor. Que chove e faz sol. Esperava que, nos últimos dias do mundo, sentiríamos um impacto no clima: Frio de -15 ou calor de 40. Chuvas fortes, tempestades, coisas que nos impedissem de sair de casa. Dias como os de hoje me deixam com dor de cabeça, e eu juro que enxaqueca não era o que eu planejava pro fim da minha existência. (durante esse primeiro parágrafo, o sol apareceu e sumiu umas três vezes, caso você queira saber).

Falando em você, eu queria saber se você tá satisfeito em terminar desse jeito. Fez tudo o que queria? Já foi procurar aquela pessoa que faz teu coração disparar? Já parou pra pensar quem é a ultima pessoa que você quer ver no ultimo dia? Eu gosto de contar a minha história, mas gosto de saber a de quem me lê também.

Isso me faz parar pra pensar o tanto de gente interessante que tem no mundo e eu nem cheguei perto de conhecer. Penso também na possibilidade de existir alguém aí fora, do outro lado do mundo, ou do outro lado da rua, pensando as mesmas coisas que eu. Talvez, essa pessoa tenha respostas pra várias das minhas perguntas. Talvez ela tenha o que me falta, e até o que eu acho que já encontrei em outra. Talvez ela saiba me explicar, ou até me mostre, o que é realmente o amor, o "precisar-de-outra-pessoa" e coloque abaixo tudo o que eu aprendi até hoje sobre esse sentimento/mostro-de-sete-cabeças. Quem sabe ela não seja a pessoa que me dê um tapa na cara e diga "Laura, para de babaquice, cara! O mundo não vai acabar.", já que, até agora, ninguém tentou me convencer disso. Eu acho é que tá todo mundo com medo mesmo, por mais que neguem.

Lembra que ontem eu cheguei a comentar que teria que passar os dias estudando? Pois é. Não fiz. Hoje tenho as provas, mas decidi que não estudaria. Ao invés disso, assisti a um bom filme, conversei com as pessoas que mais me tem feito bem e até cheguei a ir atrás de algumas com quem não falava há algum tempo e sentia falta. Pelo fim da noite de ontem, enquanto conversava sobre "como tirar as mães de casa", "quem você deixa entrar no seu quarto e "como explicar pra sua mãe que você não quer levar pra cama todos que entram na sua casa", parei pra pensar (como deve ter percebido, é o que eu mais tenho feito nos últimos dias) sobre os segundos finais do dia 21. Fiquei em dúvida entre acabar com tudo em uma cama, entrelaçada em meio às pernas de alguém, num instante final de êxtase, ou apenas sentada na areia, de mãos dadas, observando os tons e cores finais do céu. Ou até enfrentando um medo. Pulando de um prédio, por exemplo.

Minha mente insiste em acreditar que o mundo vai acabar com uma onda de alguma coisa...
Sobre a história que tenho e que havia dito que contaria hoje, desisti. Ainda não to pronta pra isso, vou deixar pra mais pra frente. Pro último dia, provavelmente.

Quanto ao meu "hoje", tenho uma decisão a tomar: Ir pra faculdade e fazer as provas finais, ou sair com pessoas que estou morrendo de vontade de ver. To achando que a covardia de jogar tudo pro alto vai acabar me levando pra faculdade. Triste...

Nenhum comentário:

Postar um comentário