sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Olhos de Amy


"Never clip my wings" (nunca amarres as minhas asas) -  era a frase que carregava Amy, tatuada em seu braço direito.  Sim, a frase carregava Amy. Talvez quisesse gritar isso ao mundo, só não soube como. Amy tinha 27 anos, mas seus olhos me mostravam uma garota com bem menos que isso. Uma garota, lá no fundo, apaixonada pela música, pelo mundo e por tudo o que tinha vontade de conhecer. Amy tinha um espírito livre e infantil por trás de toda a maquiagem.

Desde que me entendo por gente, sou fissurada em olhos e olhares. Faço faculdade de cinema para mostrar aos outros, meu modo e perspectiva de visão sobre determinado assunto.

"Os olhos são as janelas da alma". 
Os olhos deixam passar o que o resto do corpo tenta esconder. Olhos são a parte mais sincera do corpo de uma pessoa. Amy Winehouse é/foi o maior exemplo disso.

No fim de sua vida, as polêmicas a colocavam nas capas de revistas e jornais, sempre em situações degradantes. Toda vez que me deparava com uma notinha qualquer com uma foto, intitulada "Amy em mais um escândalo", prestava bastante atenção em seus olhos.


Por mais louca que estivesse, e estampasse no rosto "Fodam-se todos vocês, a vida é minha!" via em seus olhos a garota que realmente era, gritando "amarraram as minhas asas, por favor, alguém me tire daqui!".

A maioria das pessoas julgam Amy Winehouse como "A cantora Junkie e drogada", mas são poucos os que veem que, com a fama, Amy se assustou, se perdeu e não conseguiu se encontrar. A fama prendeu as asas da pequena Amy e a fizeram cair em um mergulho em direção ao chão. Perdida e sem saber o que fazer, foi para o lado errado, mas como forma de tentar se libertar. Se libertou. Amy agora voa livre em algum lugar.

Afirmo, sem medo de críticas, que, se Machado de Assis a tivesse conhecido, os famosos "olhos de ressaca" de Capitu não bastariam para Bentinho, comparados aos olhos sinceros e verdadeiros de Amy Winehouse.


A pseudo-escritora que vos escreve não é fã assídua e tampouco conhece bem sua carreira e história, mas é simplesmente apaixonada pelo pouco que já ouviu e pelo olhar que tanto lhe cativa. 

Hoje, 14/09, se estivesse viva, Amy Winehouse completaria 29 anos.

Feliz aniversário, Amy.

Um comentário:

  1. Que texto mais singelo, Laura.
    Eu era encantado por Amy e pela música que ela fazia. Fiquei entristecido quando ela morreu sem ter dado a volta por cima. Foi uma perda irreparável pra música e pra nós fãs que nos deliciávamos com a voz e a sensibilidade da guria.

    E os olhos dela gritavam. Gosto de olhos por isso: eles não acompanham os músculos do rosto, não conseguir pontuar a mentira; eles têm vida própria e porta alternativa de saída.

    Beijo.

    ResponderExcluir