sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Entre o real e o imaginário I: Não mude de estação.

"Não mude de estação
Continue bem aí
Continue olhando pra mim,

Não saia assim que a porta abrir
Não deixe que o sinal te desvie de mim
te leve pra outro lugar.

Te imploro! Fique!
Te peço que não vá
Te pago um café, uma xícara de chá...

Só não desvie os teus olhos de mim"

Sem ao menos me ouvir,
Meu amor saiu do trêm, 
por aí.

Nenhum comentário:

Postar um comentário