sábado, 4 de agosto de 2012

Fragmentos



Aqui, agora, sentada neste 7º andar, no meio dessa cidade, com toda essa gente, eu insisto em procurar vestígios de você dentro de mim. E sempre os encontro. Houve um dia em que te rasguei em mil pedaços pra ver se te perdia de vez e desocupava todo o espaço que você, sem querer, ocupava. O problema é que, ao invés de jogar todos os fragmentos fora, os escondi, embaixo de vários tapetes como quem esconde provas de algo errado que fez. Em toda e qualquer parte de mim, encontro você, em fragmentos. 

E aqui, agora, sentada nesse 7º andar, pela janela, me pego te procurando entre essas tantas pessoas que passam. E te encontro. No sorriso da garotinha andando de bicicletas, nos cabelos despenteados do rapaz que passa apressado. Mas te encontro, principalmente, em mim. Nos meus olhos refletidos nessa janela, que fazem questão de me lembrar que saudade é coisa que não se livra facilmente ou se varre pra debaixo do tapete da sala.


L.S. Berkowitz

5 comentários: