sábado, 21 de julho de 2012

Te pedindo pra sair...


Adquiri novos hábitos. Hábitos desnecessários e dos quais não tenho conseguido me livrar. Tenho seguido suas palavras por aí, e vezenquando esbarro nas minhas, no meio das tuas. Coincidência demais? Coincidências. Plural. Tá tudo me jogando pra sua direção meio que ao acaso, meio que despercebido. Olha, eu nem te conheço direito, mas as suas palavras fazem parecer que já nos esbarramos por aí. Tô achando que você sabe muito de mim e não admite. Fica aí com esse jogo de me colocar no meio das tuas palavras pra me fazer achar que é tudo obra do acaso, fica aí se disfarçando em outros nomes, sem saber que não adianta. 

Eu te conheço tão pouco, tão pouco! Um tão-pouco-quase-nada. Como é que eu consigo te reconhecer tão bem por trás desses disfarces? Como é que eu tenho te desvendado? Por favor, pare com esse jogo. Coloque as cartas na mesa. Ou as envie pra outro remetente! Eu não quero mais seguir suas palavras tentando chegar até sua porta, pra quando você abrir, ser a da minha própria sala.

2 comentários: