sábado, 26 de maio de 2012

Sobre falta de inspiração.

Eu perdi a inspiração pra escrever nesses alguns meses que se passaram. Eu perdi certas coisas que tinha na minha cabeça. Coisas boas pra se perder, porém, que fazem falta. Perdi o tempo também. Me ocupei de coisas. Muitas. Meu excesso de pontos é a mais clara evidência da minha falta de inspiração. Será que eu perdi o jeito? Será que eu já tive o jeito? Essa troca de assuntos, é outro ponto que afirma a bagunça interna da minha cabeça. São tantas coisas que eu preciso despejar, que não consigo desenvolver uma de cada vez. 

Já teve a sensação de esvaziar? Parece boa de início, mas em seguida, vem o desespero de parecer vazio demais. A vontade de se preencher novamente de tudo o que te ocupava antes. Perdi. Não volta mais. Inspiração, vontade, pensamento, e aquela sensação que eu sentia toda noite. Será que é perdido pra sempre? "Tomara", penso eu. "Tomara que volte", pensa o meu inconciente. 

Comentei esses dias sobre chamar uma outra pessoa de "escrota". Disse que este "adjetivo" é o ponto mais alto de desprezo por uma pessoa. "Escroto" mesmo é usar essa palavra. É sentir desprezo por pura babaquice. Babaquice é você querer ter demais. Apenas, por ter. Não importando as consequência. Eu acho que mereço esse adjetivo hora ou outra. Mas isso vai totalmente contra meu ego altamente protegido e elevado. Não, eu não mereço. Eu mereço é um soco por estar usando este universo de pontuações cansativas, por estar escrevendo este texto totalmente sem sentido e cheio de bobagens que colidiram no meu universo interior. Colisão catastrófica, obsoleta e desnecessária.

Tenho vivido dias desnecessários. Não, não os dias. Os atos? Certas conversas? Preocupações que não são minhas? Excesso do exceto. Eticétera e todo o resto? Um milhão de coisas sem nexo, totalmente inúteis e disperças. Nada faz sentido aqui hoje, percebe? É assim que anda a minha cabeça. E se ela está assim, é porque eu a fiz ficar assim e não nego. E a culpa não é minha. Claro que não! Meu ego não deixaria eu me culpar tão fácil assim. A culpa é da lua em áries, do ascendente em sagitário, do beijo que eu não dei, da conversa que não tive ou de certas palavras que deixei de dizer. A CULPA É DO EGO, QUE CULPA TUDO, mas não admite que a verdadeira e única culpada, sou eu.

2 comentários:

  1. Te entendi e não te entendi.
    Comentário desnecessário, talvez.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentário nunca são desnecessários (no blog, pelo menos). Não tinha o que entender não. Só joguei aqui pra ver se organizava na minha cabeça...

      Excluir