segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

365.


Começa com uma mensagem. Depois continuou com horas a fio de conversa via internet. Quando decidimos nos ver, o mundo conspirou contra nós por meses. Primeiro o mundo. Depois o tempo. Depois as pessoas. Até que finalmente deu certo. Nos demos bem de cara. Mais do que bem, eu diria.
Você dizia que achava que tinha sido muito fácil pra mim. Que nunca tinha sentido nada tão forte por ninguém. Eu tentava bancar a durona, com medo do que pudesse acontecer. Mas aí eu falei pra mim mesma: quer saber? Se for pra quebrar a cara, vou fazer valer a pena.
E aí, nos encontramos na chuva, no sol, no frio. Frio na barriga. Me pediu em namoro, me beijou no cinema, na chuva, disse que me amava e pronto, já não tinha mais saída. Eu já estava totalmente louca por uma pessoa que, alguns meses atrás, me odiava. Que eu odiava.
Superamos opiniões, superamos dificuldades e mudamos muito. Uma a outra. Apareceu a distância. Estamos lidando bem com ela até agora... mas sabemos que é questão de tempo. Vários personagens apareceram nesses 365 dias, no meio da nossa história. Um ser dizendo que nosso amor é bom, e que "quando uma tiver uma moeda no bolso, vai saber que a outra quer um sorvete". Um ladrão que fez você se transformar numa heroína nos salvando do assalto. Slow e nosso projeto do mundo do sofá.
Projetos e planos pro futuro. Onde vamos morar, nós, embaixo do pé de romã cantando scracho pra mallu quando ela estiver tristinha.

Quando eu não pude ver o eclipse, você foi lá e me mostrou como foi.





Todas as vezes que você me escreveu. Todos os textos em word que você me mandou. Os blocos de nota, ou as frases que você me dizia no skype. Tudo guardado. Os videos que eu gravo, e assisto todas as noites antes de dormir... São tantas coisas nesses 365 dias... eu poderia passar o ano listando tudo. Tem tantas fotos e print's e coisas que eu queria postar aqui, mas você me mataria não caberia aqui.




Olha, eu sei que você quer alguém que não solte da sua mão pra trocar de marcha, que não tenha medo de altura e não se esconda no meio dos seus braços enquanto desce a serra da praia e mais algumas coisas que você sabe que eu talvez não possa te dar. Eu também sei que esse não foi o meu melhor texto. Mas eu prometo que vou continuar te dando boa noite todos os dias, que vou te escrever sempre. E mesmo você estando brava porque eu te enganei dizendo que não postei nada esse mês, eu te amo muito. Nunca amei alguém como eu te amo. Erraria tudo que já errei, do mesmo jeito, só pra poder estar com você. E a distância vai sempre valer a pena, quando eu chegar na rodoviária e ver o seu sorriso e me encaixar no seu abraço por dois dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário