sexta-feira, 9 de setembro de 2011

8.

Deu vontade de te amar num beijo,
fazer-te entender que o tal casal
que éramos... somos.
E que afinal,
o que nos rege é o desejo
de companhia e de amar.
Deu vontade de te amar num sussurro,
de orelha em orelha,
curvando o corpo, zumbido de abelha
em ouvido de amor.
Deu vontade de você
e essa poesia não tem fim...



Arrebatamento - Marcelo R. Rezende (Estranhos)

Um comentário: