domingo, 5 de junho de 2011

Every moments.

E eu, que achava que se tornaria uma parte de mim.
Ah, como eu estava enganada! Deus, como estava.
Se tornou um "eu" inteiro. Se tornou um mundo inteiro.
Um mundo inteiro e suas dimensões paralelas.

"Não existe nada de mais esterilizante do que a perfeição de não se querer 
nada além do que está à nossa volta".

Obrigada, mais uma vez, por fazer eu me sentir dessa maneira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário